Profissionais da área de jogos

Midori NakagawaNotícias0 Comments

play-game

O Brasil é um dos maiores consumidores de jogos eletrônicos. Só em vendas foram movimentados mais de R$1,6 bilhões e a expectativa de crescimento é de 13,5% nos próximos cinco anos. E com esse crescimento, empresas do setor começaram a surgir e com elas vagas de emprego.

Segundo o vice-presidente da Abragames Fred Vasconcelos, os profissionais que estão em falta são designers e programadores de jogos. Ele também diz que os valores pagos a esses profissionais ficam entre R$1.200,00 a R$10.000,00; valores bastante expressivos para algumas regiões do país.

As vagas de empregos estão lá, mas os profissionais que as empresas procuram são aqueles que já têm alguma ou muita experiência. Porém esse perfil profissional é muito restrito já que há 5 anos falar em indústria de jogos no Brasil era um sonho. Quando se acha alguém com perfil exigido o valor do profissional é maior do que a ofertada.

O valor de início de carreira pode parecer atrativo, porém se formos pensar onde o polo está, geralmente nas capitais do sudeste e sul do Brasil, R$1.200,00 é um valor bem baixo principalmente se considerarmos o custo de vida de cidades como São Paulo e Porto Alegre. O ganho não é proporcional ao lugar onde você está morando, mesmo porque as empresas nascentes ainda não têm condições para pagar mais, pois o incentivo a elas é baixo.

Mas o mercado não é tão ruim assim, ele tem se tornado maior e as empresas com estrutura mais sólida pagam o valor do profissional experiente. Elas também contratam estagiários, e o valor pago por seu trabalho é acima da média de outros cursos de graduação. Dentro de universidades e/ou escolas técnicas há projetos de desenvolvimento de jogos que o aluno pode entrar e começar a ganhar experiência. O campo também é aberto para freelancers, podendo assim trabalhar com o desenvolvimento de jogos à distância, diminuindo os custos com transporte, refeições ou mesmo não precisando mudar para grandes polos onde o custo de vida é alto.

Para se tornar um profissional de jogos eletrônicos as dificuldades são as mesmas que a de outros profissionais, mesmo com o mercado em expansão e com as muitas vagas anunciadas. Podemos dizer que há até um pouco mais de dificuldade pois há profissões novas que ainda não sabem seu papel dentro da empresa, ou mesmo a não valorização de profissionais que muitas vezes são ignorados, como escritores e produtores. Mas enfim, para se tornar um desenvolvedor e trabalhar com jogos precisa de dedicação, estudo, entusiasmo e perseverança.

Referência: G1

Este post está disponível também em English